Descubra connosco

GO UP
melgaco-sustentavel-dicas-empresas-turismo

3 dicas de sustentabilidade para as empresas do turismo

A sustentabilidade é um tema cada vez mais presente e de grande importância para o futuro de todos, e os negócios do turismo não são indiferentes a este assunto que requer o contributo de ambas as partes.

Ao longo deste artigo damos-lhe a conhecer algumas dicas de sustentabilidade.

1. Doação de produtos excedentes

A confeção das refeições nos restaurantes e estabelecimentos hoteleiros faz com que, regularmente, existam excedentes que não são passíveis de serem reaproveitado para dias seguintes. A doação destes produtos/refeições a instituições de solidariedade é uma boa prática que pode ser adotada.

No caso das padarias, o pão e os bolos podem ter o mesmo destino, apoiando, dessa forma, famílias em carência social.

Numa outra perspetiva, vários hotéis estão a aderir a plataformas de venda online (ex: Too Good To Go) que possibilitam a venda de excedentes alimentares no formato de magic box – caixa mágica – a preços acessíveis para os consumidores, que podem variar de magic boxes brunch, almoço e jantar.

O consumidor, para efetuar a compra, basta dirigir-se ao site ou fazer o download da app, efetuar o pagamento via online e recolher a magic box no local do estabelecimento.

2. Utilize os alimentos biológicos

Outra forma de ser sustentável consiste na utilização de alimentos biológicos que são cultivados sem o uso de substâncias químicas, que garantem uma maior concentração de nutrientes e uma cascata de sabores aromáticos naturalmente genuínos.

Desta forma, os alimentos biológicos asseguram uma melhor qualidade de vida aos consumidores, são altamente nutritivos e atribuem um vínculo de qualidade aos estabelecimentos que os comercializam. Por outro lado, na confeção de refeições, resultam num alto teor de excelência e, além disso, é uma forma de promover boas práticas que garantem o bem-estar dos ecossistemas.

3. Opte por veículos elétricos

Os veículos elétricos começam a ser os protagonistas rodoviários nas pequenas e grandes deslocações laborais, de lazer, de férias para os destinos turísticos e também os agentes nas atividades ligadas turismo.
Segundo os dados recolhidos pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP) em julho 2022, registou-se um crescimento no número de veículos ligeiros de passageiros elétricos de 48,9% e nos veículos ligeiros de mercadorias matriculados de 168,8%.

Mais do que uma tendência, isto é uma mudança de paradigma que se tornará real (há uma meta da UE que pretende terminar a comercialização de carros a combustão em 2035).

Uma boa prática a adotar pelas empresas passa pela aquisição de veículos elétricos (sempre que possível), sobretudo para o transporte de mercadorias ou de pessoas, reduzindo assim as emissões de GEE. Vários hotéis e restaurantes, um pouco por todo o mundo, têm, mesmo, instalado pontos de carregamento “à porta”, permitindo aos seus clientes “abastecerem” as suas viaturas enquanto estão nos seus espaços.

Uma bateria de um Veículo Elétrico pode ter uma vida útil de até 30 anos, e já existem mecanismos que permitem reciclar os seus materiais assim que estas atingem este prazo. Importa clarificar que o conteúdo das baterias de iões de lítio é menos tóxico do que o de outras baterias, o que facilita a sua reciclagem. Contudo, o lítio é um elemento altamente reativo, daí a importância que seja efetuada de forma segura e eficiente.

Atualmente, a maioria das baterias para reciclagem são enviadas para a Bélgica ou para a Alemanha, onde existem infra-estruturas para proceder à correta reciclagem do lítio presente nas baterias. Quando bem feito, o processo de reciclagem permite remover 95% da matéria prima, para que esta seja reutilizada em outros aparelhos elétricos e eletrónicos, tal como regressam também a baterias para Veículos Elétricos.

As pessoas fazem parte da experiência turística, ou seja, do produto oferecido pelas empresas que operam no turismo. Por isso, envolver o turista em soluções que promovam a sustentabilidade (política, social, ambiental e económica) é, em si mesmo, uma prática sustentável.

Fonte: UVE – Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos